Inquérito às Necessidades de Gestão das Pessoas nas Empresas Tecnológicas

No decorrer do presente ano de 2015, a SHL Portugal realizou um inquérito às necessidades de Gestão das Pessoas nas Empresas Tecnológicas.

No decorrer deste inquérito foram enviados 85 questionários a diversas organizações, tendo sido obtida uma taxa de resposta de 16,5%.

Independentemente da dimensão da Organização, é de destacar que todas as Organizações escolhidas possuem Departamentos de Recursos Humanos, os quais colaboraram para a obtenção dos resultados partilhados.

Como principais conclusões deste estudo destaca-se a importância atribuída a três Sistemas de Gestão de pessoas, os quais aprofundamos de seguida:

  • Sistemas de Avaliação do Desempenho – Onde 75% das Organizações inquiridas consideram possuir um sistema com moderada a elevada eficácia, mas onde 11% das Organizações inquiridas refere não possuir qualquer sistema de Avaliação do Desempenho.
  • Formação Técnica – Onde todas as Organizações inquiridas afirmam possuir programas desta natureza, com 1/3 das empresas a considerar os seus programas de Formação como bastante eficazes.
  • Sistemas de Recrutamento e Seleção – Onde, novamente, todas as Organizações inquiridas afirmam possuir sistemas desta natureza, com 1 em cada 3 organizações a considerá-los como bastante eficazes.

Por contraste, foram também identificados três Sistemas de Gestão das Pessoas nos quais as Empresas Tecnológicas investem menos, sendo que, de forma geral, estes sistemas encontram-se ou por implementar ou num estado muito embrionário, caracterizado por uma clara ineficácia.

  • Descrições de Funções – Onde, embora considerada como uma prática menos importante, 22% das Organizações inquiridas afirmam não possuir descritivos funcionais para a sua empresa, considerando, contudo, relevante a sua existência.
  • Assessment do Potencial Cognitivo e Comportamental – Onde 44% das Organizações afirmam não utilizar estas avaliações, considerando, no entanto, importante a sua existência.
  • Planos de Carreira e de Remunerações – Onde metade das organizações inquiridas considera a sua atuação como de elevada eficácia, contrastando com a ausência de qualquer prática deste nível em 22% das Organizações inquiridas.

Resumindo, as práticas mais eficazes são também as classificadas como sendo mais importantes pela maioria das Organizações inquiridas, existindo algumas práticas valorizadas por estas Organizações mas que ainda não se encontram implementadas ou são, atualmente, consideradas como ineficazes.

 

“Em minha opinião a parceria estabelecida, para a criação do sistema de gestão integrada de recursos humanos, serviu para mais uma vez reforçar a opinião muito positiva que já temos acerca da SHL Portugal e da qualidade e seriedade dos seus serviços, de um modo geral.”

Tavares Cristóvão, Director de Recursos Humanos, Banco BAI